domingo, 26 de junho de 2011

23.06.2011

Uma sensação boa.

Só assim consigo descrever aquilo tudo que você me fez sentir nessa noite estrelada.
Já havia algum tempo que esse sentimento me mantia viva, me lembrava que existia sim uma forma de curar meus medos e minha dor passada. Você apareceu, retribuiu de uma forma calma e discreta tudo aquilo que meus olhos afirmavam, mesmo não podendo.
Na primeira oportunidade você estava aqui... nos meus braços.E claro, ainda não podia mas quem disse que nos controlamos?
Me senti viva, senti meu coração bater, senti minhas pernas tremerem, e quando seus olhos me invadiram eu vi que era realmente verdade e eu tinha que aproveitar aquele momento, aproveitei.
Depois de algum tempo, como o que eu já imaginava... veio seu arrependimento e a minha forma de ouvir e dizer que estava tudo bem, não... não está nada bem.
Está diferente de quando eu tentava descobrir o que aconteceria depois de tocar seus lábios carnudos, se bem que o que mais eu queria? Isso é o que eu posso te dar, esse sentimento sem compromisso é o que eu quero, então observando assim não há o que temer.
Só desejo que você me tire da sua cabeça e que eu pare de querer estar com você, desejo isso, mesmo sentindo o gosto da sua boca e desejando voltar naquele minuto.
Apenas saiba: me senti viva.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Ela volta, você guarda sua dor no bolso e ajuda a curar a dela. Você sabe exatamente onde está errando, mas não consegue se controlar totalmente, ela entra em contradição, você não acredita puramente, mas quer acreditar. Depois a vida te esfrega na cara as verdades que você fingia não ver, as mentiras que você queria acreditar. Mas o problema não é esse, talvez o problema seja a ingratidão, seja a pessoa esquecer que no fundo você também tinha uma dor. Então porque procurar a cura nos braços de quem não se ama? As pessoas são tão confusas, que tentando curar uma dor, vão se envolvendo com outras pessoas, ficando cada vez piores.